VOLTAR PARA PÁGINA INICIAL
 
 
 

JORNADA MUNDIAL DE ORAÇÃO PELA SANTIFICAÇÃO DO CLERO 2006

HORA SANTA

1.     CANTO INICIAL                                                                                                                                               De pé

REFRÃO: Nós somos muitos, mas formamos um só corpo, que é o Corpo do Senhor, a Sua Igreja,pois todos nós participamos do mesmo Pão da Unidade, que é o Corpo do Senhor, a Comunhão.

1.     O Pão que, reunidos, nós partimos é a participação no Corpo do Senhor.

2.     O cálice por nós abençoado é a nossa comunhão no Sangue do Senhor.

3.     À ordem do Senhor participando, celebramos a memória da nossa redenção.

4.     Da Ceia do Senhor participando, pelo Espírito, seremos unidos num só corpo.

5.     Seu Corpo e seu Sangue comungando, sua morte anunciamos, até que Ele venha. 

 

2.   SAUDAÇÃO E MOTIVO DO ENCONTRO

Dirigente: Em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo.

Todos: Amém.

Dirigente: Irmãos, eleitos segundo a presciência de Deus Pai, pela santificação do Espírito, para obedecer a Jesus Cristo e participar da bênção da aspersão de seu sangue, graça e paz vos sejam concedidas abundantemente.

Todos: Bendito seja Deus que nos reuniu no amor de Cristo.

Dirigente: Meus irmãos e minhas irmãs, grande é o motivo de nos reunirmos hoje, diante do Senhor Sacramentado: junto com toda a Igreja, rezamos na intenção da Jornada Mundial de oração pela Santificação do Clero. Peçamos ao Bom Pastor por aqueles que Ele escolheu e chamou, fazendo-os ministros do Evangelho.

Todos (cantando): Senhor, tu me olhaste nos olhos, a sorrir, pronunciaste meu nome. Lá na praia, eu larguei o meu barco. Junto a ti, buscarei outro mar!

Dirigente: Na mesma intenção, rezemos também por todos os consagrados e consagradas, que seguem o Senhor no anúncio do Evangelho e na construção da paz.

Todos (cantando): Sim, eu irei e levarei teu nome aos meus irmãos. Iremos nós, e o teu amor vai construir, enfim, a paz!

Dirigente: E também rezemos por todo o povo do Senhor, chamado a segui-lo na sua própria vocação, de modo que nunca se afastem do chamado de Deus e sempre realizem, em suas vidas, a vontade do Pai.

Todos (cantando): Eis-me aqui, Senhor! Eis-me aqui, Senhor! Pra fazer tua vontade, pra viver do teu amor, pra fazer tua vontade, pra viver do teu amor, eis-me aqui, Senhor!

3.   SALMO 129                                                                                        Sentados. Rezado entre 2 coros

Dirigente: No início desta Hora Santa, não podemos deixar de olhar para o Senhor e, ao agradecermos o dom da vocação que recebemos dele, também pedirmos perdão por todas as vezes que, de alguma forma, não fomos fiéis à sua voz e não realizamos sua vontade em nossas vidas, deixando de ser instrumentos seus para os nossos irmãos.

 

Coro 1: Das profundezas eu clamo a vós, Senhor: escutai a minha voz!

Coro 2: Vossos ouvidos estejam bem atentos ao clamor da minha prece!

Coro 1: Se levardes em conta nossas faltas, quem haverá de subsistir?

Coro 2: Mas em vós se encontra o perdão, eu vos temo e em vós espero.

Coro 1: No Senhor ponho a minha esperança, espero em sua palavra.

Coro 2: A minh’alma espera no Senhor mais que o vigia pela aurora.

Coro 1: Espere Israel pelo Senhor mais que o vigia pela aurora,

Coro 2: Pois no Senhor se encontra toda graça e copiosa redenção.

Coro 1: Ele vem libertar a Israel de toda a sua culpa.

Todos: Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo, como era no princípio, agora e sempre. Amém.

 

Dirigente: Por todas as vezes que deixamos de ouvir sua voz, não cumprindo a missão que vós nos confiastes, tende compaixão de nós, Senhor.

Todos: Porque somos pecadores.

Dirigente: Porque, em muitas situações de nossa vida, nos esquecemos de que nosso chamado não é para nós mesmos, e não conduzimos o povo a Vós, manifestai, Senhor, a vossa misericórdia.

Todos: E dai-nos a vossa salvação.

Dirigente: Deus todo-poderoso tenha compaixão de nós, perdoe os nossos pecados e nos conduza à vida eterna.

Todos: Amém. 

 

4.   NOSSA RESPOSTA DE GRATIDÃO AO DEUS DE AMOR                                   De pé

Dirigente: Confiantes na misericórdia e na providência do Senhor, cantemos juntos:

1.     Pelos prados e campinas verdejantes eu vou! É o Senhor que me leva a descansar. Junto às fontes de águas puras, repousantes, eu vou! Minhas forças o Senhor vai animar!

REFRÃO: Tu és, Senhor, o meu Pastor! Por isso nada em minha vida faltará.

2.     Nos caminhos mais seguros junto dele eu vou e pra sempre o seu nome eu honrarei! Se eu encontro mil abismos nos caminhos, eu vou! Segurança sempre tenho em suas mãos.

3.     No banquete em sua casa, muito alegre, eu vou! Um lugar em sua mesa me preparou! Ele unge minha fronte e me faz ser feliz e transborda minha taça em seu amor.

4.     Bem à frente do inimigo confiante eu vou! Tenho sempre o Senhor junto de mim. Seu cajado me protege e eu jamais temerei. Sempre junto do Senhor eu estarei.

5.     Co’ alegria e esperança, caminhando eu vou! Minha vida está sempre em suas mãos. E, na casa do Senhor, eu irei habitar e este canto para sempre irei cantar.

 

5.    PALAVRA DE DEUS                                                                                                                              Sentados

Leitor: Leitura da Segunda Carta de São Paulo a Timóteo.                                                    2Tm 1,6-12

Caríssimo: 6Exorto-te a reavivar a chama do dom de Deus que recebeste pela imposição das minhas mãos. 7Pois Deus não nos deu um espírito de timidez mas de fortaleza, de amor e sobriedade. 8Não te envergonhes do testemunho de Nosso Senhor nem de mim, seu prisioneiro, mas sofre comigo pelo Evangelho, fortificado pelo poder de Deus. 9Deus nos salvou e nos chamou com uma vocação santa, não devido às nossas obras, mas em virtude do seu desígnio e da sua graça, que nos foi dada em Cristo Jesus desde toda a eternidade. 10Esta graça foi revelada agora, pela manifestação de nosso Salvador, Jesus Cristo. Ele não só destruiu a morte, como também fez brilhar a vida e a imortalidade por meio do Evangelho, 11do qual fui constituído anunciador, apóstolo e mestre. 12Esta é a causa pela qual estou sofrendo, mas não me envergonho, porque sei em quem coloquei a minha fé. E tenho a certeza de que ele é capaz de guardar aquilo que me foi confiado até ao grande dia. – Palavra do Senhor.

Todos: Graças a Deus. 

 

6.   REFLEXÕES SOBRE A HOMILIA DO PAPA BENTO XVI

Dirigente: Na Quinta-feira Santa deste ano, o Santo Padre Bento XVI dirigiu uma belíssima homilia aos sacerdotes, refletindo sobre a natureza própria da vocação à qual foram chamados. Vamos dedicar, neste momento, um espaço para ouvir trechos da homilia do Santo Padre e deixar que sua mensagem caia em nossos corações.

Leitor 1: “A Quinta-Feira Santa é o dia em que o Senhor confiou aos Doze a tarefa sacerdotal de celebrar, no pão e no vinho, o Sacramento do seu Corpo e do seu Sangue, até à sua volta. O mistério do sacerdócio da Igreja encontra-se no fato de que nós, pobres seres humanos, em virtude do Sacramento, podemos falar com o seu Eu: in persona Christi. Ele quer exercer o seu sacerdócio através de nós”.

Leitor 2: “No centro encontra-se o antiqüíssimo gesto da imposição das mãos, com o qual Ele tomou posse de mim, dizendo-me: “Tu me pertences”. Mas com isto disse também: “Tu estás sob a proteção das minhas mãos. Tu encontras-te sob a proteção do meu coração. Tu estás conservado na palma da minha mão e é precisamente assim que te encontras na vastidão do meu amor. Permanece no espaço das minhas mãos e dá-me as tuas”.”

Todos (cantando): Toma minhas mãos: te peço! toma meus lábios: te amo! Toma minha vida! Ó Pai, teu sou! Teu sou!

(Momento para pausa e reflexão pessoal)

Leitor 3: “Além disso, recordemos que as nossas mãos foram ungidas com o óleo, que é o sinal do Espírito Santo e da sua força. Por que precisamente as mãos? A mão do homem é o instrumento do seu agir, é o símbolo da sua capacidade de enfrentar o mundo, exatamente de “o tomar pela mão”. O Senhor impôs as suas mãos sobre nós e agora quer as nossas mãos a fim de que, no mundo, se tornem suas”.

Todos (cantando): Sim, Senhor, nossas mãos vão plantar o teu Reino! O teu pão vai nos dar teu vigor, tua paz!

Leitor 4: “Se as mãos do homem representam simbolicamente as suas faculdades e, em geral, a técnica como poder de dispor do mundo, então as mãos ungidas devem constituir um sinal da sua capacidade de doar, da criatividade no ato de plasmar o mundo com o amor e para isso, sem dúvida, temos necessidade do Espírito Santo. Voltemos a colocar as nossas mãos à sua disposição e peçamos-lhe que nos tome novamente pelas mãos e que nos oriente”.

Todos (cantando): Tomado pela mão, com Jesus eu vou! Sigo como ovelha que encontrou o Pastor Tomado pela mão, com Jesus eu vou aonde Ele for!

Leitor 5: “No gesto sacramental da imposição das mãos por parte do Bispo foi o próprio Senhor que impôs as suas mãos. Este sinal sacramental resume todo um percurso existencial. Uma vez, como aconteceu com os primeiros discípulos, encontramos o Senhor e ouvimos a sua palavra: “Segue-me!”.”

Todos (cantando): Sim, eu irei e saberei como chegar ao fim. De onde vim aonde vou, por onde irás, irei também!

(Momento para pausa e reflexão pessoal)

Leitor 6: “Fixemos sempre de novo o nosso olhar nele e estendamos-lhe as mãos. Deixemos que a sua mão nos arrebate e assim não afundaremos, mas serviremos a vida, que é mais forte do que a morte; e o amor, que é mais vigoroso do que o ódio. O Senhor impôs as suas mãos sobre nós. E expressou o significado deste gesto com as seguintes palavras: “Já não vos chamo servos, visto que o servo não está ao corrente do que faz o seu senhor; mas a vós chamei-vos amigos, porque vos dei a conhecer tudo o que ouvi do meu Pai” (Jo 15,15).”

Todos (cantando): Eu sou, Senhor, em tuas mãos, inteira entrega, oblação!

Leitor 7: “Todos os sinais essenciais da Ordenação sacerdotal são, em última análise, manifestações desta palavra: a imposição das mãos; a entrega do livro da sua palavra, que Ele nos confia; a entrega do cálice, com o qual nos transmite o seu mistério mais profundo e pessoal. De tudo isto faz parte também o poder de absolver: Ele faz-nos participar inclusive na sua consciência, em relação à miséria do pecado e a toda a obscuridade do mundo, enquanto coloca nas nossas mãos a chave para reabrir a porta da casa do Pai”.

Todos (cantando): Tu és, Jesus, Sacerdote e Cordeiro Imolado! Também somos por ti sacerdotes, ó Bem Amado!

(Momento para pausa e reflexão pessoal)

Leitor 8: “Ser amigo de Jesus, ser sacerdote, significa ser homem de oração. É deste modo que O reconhecemos e saímos da ignorância dos simples servos. Assim aprendemos a viver, a sofrer e a agir com Ele e por Ele. A amizade com Jesus é sempre amizade com os seus. Só podemos ser amigos de Jesus na comunhão com Cristo inteiro, com a cabeça e o corpo. Ser sacerdote significa tornar-se amigo de Jesus Cristo, e isto cada vez mais com toda a nossa existência”.

Todos (cantando): Não quero ter certeza de nada, meu Senhor! Saber que tudo sabes me acalma o coração! E basta-me a certeza do teu imenso amor, estar sempre ao teu lado, tua mão na minha mão!

Leitor 9: “Gostaria de concluir esta homilia com uma palavra de Andrea Santoro, daquele sacerdote da Diocese de Roma, que foi assassinado em Trebizonda enquanto rezava. A palavra diz: “Encontro-me aqui para habitar no meio deste povo e permitir que Jesus o faça, emprestando-lhe a minha carne... só nos tornamos capazes de salvação, oferecendo o nosso próprio corpo. Jesus assumiu a nossa carne. Entreguemos-lhe a nossa para que, deste modo, Ele possa vir ao mundo e transformá-lo”.

Todos (cantando): Toma, Senhor, nossa vida e ação, para mudá-la em fruto e missão! Toma, Senhor, nossa vida e ação, para mudá-la em missão!

 

(Momento para silêncio e reflexão pessoal)

  

7.    ROGANDO AO SENHOR PELAS VOCAÇÕES                           De joelhos

Dirigente: Nesta hora em que nos colocamos na presença do Senhor para adorá-lo, confiemos a Ele nossas preces, pedindo a intercessão dos Santos que, na terra, exerceram o ministério sacerdotal, a fim de que cumule de bênçãos os que escolheu para servi-lo em sua Igreja.

Leitor 1: Pela Santa Igreja, dispersa pelo mundo inteiro, com o Papa Bento XVI, com nosso Arcebispo Dom Eusébio, seus Bispos Auxiliares e os Bispos do mundo inteiro, peçamos:

Solista

São João Maria Vianney,

Todos

Rogai por nós!

 

São Pedro Julião Eymard,

 

Rogai por nós!

 

Santo Inácio de Loyola,

 

Rogai por nós!

 

São Maximiliano Maria Kolbe,

 

Intercedei por nós!

 

Leitor 2: Pela santificação de nossos sacerdotes, peçamos:

Solista

Santo Tomás de Aquino,

Todos

Rogai por nós!

 

São João Bosco,

 

Rogai por nós!

 

São Filipe Néri,

 

Rogai por nós!

 

Santo Antônio de Pádua,

 

Intercedei por nós!

 

Leitor 3: Por todos os consagrados e consagradas, e por todo o povo de Deus, peçamos:

Solista

Santo Antônio Maria Zaccaria,

Todos

Rogai por nós!

 

São João da Cruz,

 

Rogai por nós!

 

Bem-Aventurado José de Anchieta,

 

Rogai por nós!

 

Bem-Aventurados André de Soveral e Ambrósio Francisco Ferro,

 

 

Intercedei por nós!

 

 

 

8.   ORAÇÃO PELAS VOCAÇÕES                                                              De pé

Dirigente: Vamos reunir nossos pedidos com todas as intenções da nossa Igreja do Rio de Janeiro, rezando pelas vocações com o 10º Plano de Pastoral de Conjunto:

Todos: Senhor Jesus, Redentor eterno, /  somos teus servos, somos teus amigos! /  Tu és o Único e Eterno Sacerdote, / capaz de compreender nossas fraquezas e, / incessantemente, /  oferecer-Te em sacrifício / pela salvação de todos, / no altar da Cruz. / Somos um povo sacerdotal. /  Somos um rebanho que precisa de pastores. / Fica conosco, Jesus! /  Acompanha aqueles que chamastes ao sacerdócio. / Fortalece os que coroastes com a consagração. / Sustenta os vacilantes. / Acolhe os louvores dos exultantes. / A todos integra na única família, / que é tua Igreja. / Amém.

 

9.   BÊNÇÃO DO SANTÍSSIMO                                                                      De joelhos

1.   Tão sublime sacramento adoremos neste altar, pois o Antigo Testamento deu ao Novo seu lugar. Venha a Fé por suplemento os sentidos completar.

2.  Ao eterno Pai cantemos e a Jesus, o Salvador, ao Espírito exaltemos, na Trindade o eterno amor. Ao Deus Uno e Trino demos a alegria do louvor. Amém!

 

Padre: Do céu lhes destes o Pão!

Todos: Que contém todo sabor!

Padre: Oremos. Ó Deus, que neste admirável sacramento, nos deixastes o memorial da vossa paixão, concedei-nos tal veneração pelos sagrados mistérios do vosso corpo e do vosso sangue, que experimentemos sempre em nós sua eficácia redentora. Vós que sois Deus com o Pai e o Espírito Santo.

Todos: Amém.

 

Todos: Bendito seja Deus. / Bendito seja seu Santo Nome. / Bendito seja Jesus Cristo, verdadeiro Deus e verdadeiro homem. / Bendito seja o Nome de Jesus. / Bendito seja o seu sacratíssimo Coração. / Bendito seja o seu preciosíssimo Sangue. / Bendito seja Jesus, no Santíssimo Sacramento do Altar! / Bendito seja o Espírito Santo Paráclito! / Bendita seja a grande Mãe de Deus, Maria Santíssima! / Bendita seja sua Santa Imaculada Conceição! / Bendita seja sua gloriosa Assunção! / Bendito seja o Nome de Maria, Virgem e Mãe. / Bendito seja S. José, seu castíssimo esposo. / Bendito seja Deus, nos seus Anjos e nos seus Santos.

 

Todos: Deus e Senhor nosso, protegei a vossa Igreja, dai-lhe santos pastores e dignos Ministros. Derramai as vossas bênçãos sobre o nosso Santo Padre, o Papa, sobre nosso Arcebispo com seus Bispos Auxiliares, sobre o nosso Pároco, sobre todo o Clero, sobre o chefe da nação e do Estado e sobre todas as pessoas constituídas em dignidade, para que governem com justiça. Dai ao povo brasileiro paz constante e prosperidade completa. Favorecei com os efeitos contínuos da vossa bondade, o Brasil, este Arcebispado, a Paróquia em que habitamos, a cada um de nós em particular e a todas as pessoas por quem somos obrigados a orar ou que se recomendaram às nossas orações. Tende misericórdia das almas dos fiéis que padecem no purgatório. Dai-lhes, Senhor, o descanso e a luz eterna. Amém.
 

Pai-nosso, Ave-Maria, Glória ao Pai.

 

10.          DESPEDIDA                                                                                        De pé

Padre: Ide também vós trabalhar na vinha do Senhor,  que Ele vos acompanhe.

Todos: Graças a Deus.

 

11.CANTO FINAL

REFRÃO: Tomado pela mão, com Jesus eu vou. Sigo-o como ovelha que encontrou o pastor. Tomado pela mão com Jesus eu vou aonde Ele for.

1.    Se Jesus me diz “Amigo, deixa tudo e vem comigo onde tudo é mais formoso e mais feliz!” Se Jesus me diz “Amigo, deixa tudo e vem comigo”, eu, minha mão porei na Sua e irei com Ele.

2.   “Eu te levarei, amigo, a um lugar comigo onde o sol e as estrelas brilham mais. Eu te levarei, amigo, a um lugar comigo onde tudo é mais formoso e mais feliz.

  

 

CANTOS OPCIONAIS

 

(A)

1. Eu não sou nada e do pó nasci, mas Tu me amas e morreste por mim. Diante da cruz, só posso exclamar: Teu sou, Teu sou.

REFRÃO: Toma minhas mãos, Te peço; toma meus lábios, Te amo. Toma minha vida, ó Pai Teu sou, Teu sou. Teu sou, Teu sou!

2. Quando de joelho Te olho , ó Jesus, vejo Tua grandeza e minha pequenez. Que posso dar-Te eu? Só meu ser, Teu sou, Teu sou.

 

(B)

1. Vem e eu  mostrarei que o meu caminho te leva ao Pai. Guiarei os passos teus e junto a ti hei de seguir. Sim! Eu irei e saberei como chegar ao fim de onde vim, aonde vou. Por onde irás, irei também.

2. Vem e eu te direi o que ainda estás a procurar: a verdade é como o sol e invadirá teu coração. Sim! Eu irei e aprenderei minha razão de ser. Eu creio em Ti que crês em mim e, à Tua Luz, verei a Luz.

3. Vem e eu te farei da minha vida participar. Viverás em mim aqui. Viver em mim é o bem maior. Sim! Eu irei e viverei  a vida inteira assim. Eternidade é na verdade o amor vivendo sempre em nós.

4. Vem que a terra espera quem possa e queira realizar com amor a construção de um mundo novo e muito melhor. Sim! Eu irei e levarei Teu nome aos meus irmãos. Iremos nós e o teu amor vai construir enfim a paz.

 

(C)

1. Senhor, tu me chamaste, olhar no meu olhar. Vem e vê onde moro e eu te farei feliz! Senhor, Senhor, contigo quero estar, pois teu amor primeiro me escolheu e quis.

REFRÃO: Não quero ter certeza de nada, meu Senhor: saber que tudo sabes me acalma o coração! E basta-me a certeza do teu eterno amor: estar sempre a teu lado, tua mão na minha mão.

2. Senhor, tu me enviaste depois ao meu irmão: Vai! Dize o que tu viste: eu sou o Sumo Bem!  Senhor, Senhor, me inflama o coração e o teu amor em mim não deixará ninguém.

3. Senhor, eu sempre volto. Aqui é o meu lugar: “Sem mim tu nada podes, pois tudo vem de mim!” Senhor, Senhor, contigo vou ficar: tu és meu fundamento, meu começo e fim!

 
 
Webdesigner's by Parpa's 2008